Curso online reúne jornalistas dos BRICS

Compartilhe

O Programa Online de Jornalismo Internacional dos BRICS, que se encerrou na última segunda-feira, 28 de março, reuniu 25 jornalistas dos países BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) em um programa com 21 aulas ao longo de três meses. Participaram cinco profissionais de cada país, de diferentes veículos.

O programa, proposto pelo presidente chinês, Xi Jinping, no encerramento da 13ª Cúpula dos BRICS, visa ampliar as trocas e cooperações entre profissionais dos países envolvidos. A iniciativa também havia sido aprovada no quinto encontro dos presidentes do Fórum de Mídia dos BRICS.

Organizado pela presidência do Fórum de Mídia, o programa cobriu temas relativos aos BRICS e ao jornalismo, reunindo 11 professores de China, Rússia, Índia e África do Sul. Como foi online, os trainees puderam acompanhar a seu tempo. A editora e fundadora do Radar China, Janaína Camara da Silveira, foi uma das participantes pelo Brasil.

No encerramento (foto acima/Xinhua, Divulgação), o chefe do Gabinete de Ligação do Fórum de Mídia do BRICS, Yuan Bingzhong, da agência de notícias Xinhua, falou aos 25 participantes, que participaram também de forma online. Na sede da Xinhua, em Beijing, estavam os integrantes do gabinete responsáveis pelos trainees durante os três meses de aulas. Ainda sem data para ocorrer, uma missão deve levar todos os jornalistas à China.

Cúpula em 2022 tem China na presidência, e vacinas são prioridade

Neste ano, a China é sede da 14ª Cúpula dos BRICS. Na última semana, o governo chinês anunciou que a prioridade será promover parcerias de alta qualidade entre os membros visando inaugurar uma nova era de desenvolvimento global. O tema deste ano é “Promover parceria BRICS de alta qualidade, Inaugurar uma nova era para o desenvolvimento global”.

Beijing indicou que saúde pública e cooperação em relação a vacinas são áreas chave neste ano, uma vez que o mundo ainda luta contra a Covid-19. A pandemia, aliás, fez com os dois últimos encontros dos líderes, que deveria ocorrer na Rússia e na Índia, respectivamente, fosse online. Ainda não há confirmação sobre o modelo para 2022, nem sequer sua data. O site oficial do evento neste ano já pode ser visitado, basta clicar aqui.

O logo de 2022 herda o estilo daquele de 2017, quando a cúpula ocorreu na cidade chinesa de Xiamen. Duas velas circundam o mundo em rotação representado pelas cinco cores dos países BRICS está logo acima dos dizeres BRICS – 2022 China. Ao lado, os caracteres 中国, ou China, são apresentados no estilo Dazhuan, antiga técnica de caligrafia para gravação em pedras e utilização como carimbos. Segundo a China, o logo simboliza os países quebrando as ondas agitadas no mesmo barco rumo a um futuro brilhante, uma vez que o grupo tem papel importante nos temas políticos e econômicos globais.


Compartilhe

Deixe um comentário